terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Homens de família

Estava eu bem concentrada lendo quando a frase me fulminou. Eram Jorge e Juliano. Ou Henrique e Zé Frederico. Talvez Bruninho e Mateus. Não sei, algum desses, sabe como é, é difícil acompanhá-los uma vez que fazem mitose. Mas me lembro exatamente do que cantavam longinquamente no rádio:   

E nessa vida agora somos dois, três, quatro
Quantos você quiser............


Quantos você quiser? Como assim? Não é segredo que os sertanejos vivem numa bolha de opulência e almoçam raviolis em forma de cifrão, mas quantos você quiser? Haja amor, hein? Cheguei a parar o que fazia, rindo sozinha uns segundos. ''Isso não tem o menor sentido'', bradava enquanto batia a cabeça na parede. Quem em sã consciência cogitaria pronome indefinido em um país como o nosso? Cadê o senso de realidade dessa gente? Vocês viram quanto tem custado um pacote de fralda? Para tudo, literalmente, acabar em merda? Ora quantos você quiser, isso não tem lógica para o brasileiro médio. 
Acho muito curioso também como não basta só amar, tem que procriar. Vamo procriar! É o hobby do sertanejo universitário. Para sossegar, só tendo uma prole. Nada contra, claro, mas acho a dicotomia muito gozada - sem trocadilho. Gusttavo Lima e Você, por exemplo, trocou o bar pela sorveteria. No dia em que ele descobrir que é possível casar sem se enterrar vivo, vai ser um choque.  





Auxiliou no post: 

Hard to handle - The Black Crowes