domingo, 28 de dezembro de 2014

Relações amorosas me apavoram

Relações amorosas me apavoram. É, é isso mesmo. Ao mesmo tempo em que me fascinam e povoam minha mente com suposições fofinhas e legendas de fotos, me aterrorizam. Eu tenho medo pra caralho. Fujo. Me escondo. É muita timeline pra esconder. Muita amiga e amigo pra suportar. Muita minhoca na cabeça pra deixar pra lá. Muito ciúme pra engolir a seco e com sorriso amarelo. Muito capitalismo pra conviver com civilidade. Muito status social pra sustentar. Muito trauma de infância pra sufocar o outro. Muita falcatrua pra levar na boa e ter que relativizar, porque, afinal, o sistema é esse. Não sei que tom essa postagem tá tomando, mas definitivamente não é sobre vitimismo. É mais sobre preguiça mesmo, estafa, tédio, laconismo. Vejo tantas histórias - algumas com mais riqueza de detalhes que outras - e não consigo entender como a gente pode errar tanto. Como pode se enganar tanto. Como pode ser tão animalesco, quando tinha é que colocar a cabeça para funcionar. HAHAHAHA AI, AMO MINHA INGENUIDADE
Como se a gente conseguisse pensar quando tá hipnotizado por um sorriso, por um jeito, por um peitoral, né, migxs? O sero mano é uma piada mesmo. Assim, a preguiça a que me referi é muito também sobre se proteger. Eu tenho medo de ser ferida. Pode ser uma criancice, mas também pode ser muito inteligente da minha parte: saber o que vale ou não nossa paz é um conceito interessante Concordo que não é muito descolado, inclusive, confessar isso... nem mesmo rende uma montagem com aquelas frases manjadas e IsabelaFreitianas tipo ''AI VAI E ARRISCA, GATA''
HAHAHA JURA, ISA? E quem paga minha terapia depois? Eu não tô num filme da Nancy Meyers, saca? A vida parece mais tolerável na internet mesmo. Mas quando eu voltar pra vida real, tiver que colocar a cara na rua e encarar minha total inabilidade social, eu vou querer me socar lentamente. E aquele sentimento feroz de trouxice aguda vai me corroer até eu sentir meus ossos quebrando e virando mingau. Tudo por causa de um menino. Ai, os meninos. Malditinhos. Tão escrotos e testosterônicos, mas tão mordíveis e cafunáveis. E sempre tem uns caras estranhos que me prendem a atenção e eu queria que eles vissem a mina massa que eu sou e que nós dividíssemos uns olhares de quem se conhece há 300 anos e a tutela de uns gatos de rua, mas eles sempre se encantam por alguém que não sou eu. E eu fico pensando ''puta merda, como ela conseguiu?''. Que sejam felizes, então, mas nem tanto. Blá blá, sumam do meu raio de visão.
Lembro de um cara por quem alimentei uma loucura muito louca e fodida desgraçada pra caralho lá pelos sweet sixteen, e eu não via jeito de a gente ficar junto. Tipo, nem sonhar eu conseguia, sente o drama. E ali eu entendi que eu queria mesmo era sequestrar ele e ir viver na ilha de Lost, sei lá, mas longe de qualquer coisa que pudesse minar nosso amor. Eu queria é viver grudada nele e viver de luz, viver de olhar pros olhos dele, mas sem nada que impregnasse nossa vida de realidade. Sem filas de banco, sem louças pra lavar, sem famílias pra encher nosso saco. Nós e nós e deu, fecha a porta da nossa ilusão aí. Ali, eu entendi que queria é que com todos os que vieram fosse assim. Ali, eu entendi que o amor não foi feito pra essa vida que levamos. Todavia, a gente vai continuar tentando e se vestindo de cinismo. Ou se protegendo, o que dá no mesmo. 



Auxiliaram no post: 

White wedding - Billy Idol
You could be mine - Guns N' Roses




                 

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Sobre um ano de merda, aniversário do blog e esperança que vem com The Beach Boys

''Então é Natal, e o que você fez?''

SIMONE, MIGA, NÃO FODE

E aí, marujos deste marzão chamado vida? Muita rabanada? Sabe, não foi um ano dos melhores para mim. Ao contrário de muita gente no Facebook espalhando glórias nas fuças alheias, vim aqui, na humilde, dizer que meu ano foi uma merda. Tá, não uma merda, meeeerda - há coisas piores no mundo - foi uma merdinha, saca? Fiz umas escolhas erradas. Perdi pessoas queridas. Meu peludinho me deixou - e ainda dói. Tive momentos bacanas, mas no geral foi como se eu tivesse passado dormindo desde a quarta-feira de cinzas. É surreal como eu me lembro daquele sentimento de impotência naquela tarde. Porém, felizmente passou. O bom é que os anos passam. E tô me recuperando. Comecei a fazer novos planos, aqueles planos de leonino, coitados, que nascem com o fogo, a excitação, a fúria da esperança, e vão, paulatinamente, perdendo o fôlego. Aff, espero ter maturidade desta vez para agir com perícia. Mais estratégia e menos empolgação, Bruna, é a deixa pro próximo ano.

Neste novo ano, eu tava querendo, se me permitem, ser mais cuzona também, sabe? Eu sou muito boazinha, cheia de idealismos e princípios, não sei até que ponto eu ganho com isso. Queria me importar menos com certas coisas. Queria ser mais... mais.... aff, sei lá eu, não sei nominar a coisa. E não é questão de pagar de franciscana também, é só uma espécie de vontade de experimentar outros jeitos de ser. Foi algo que me passou pela cabeça aqui. Todavia, quem sabe eu já esteja sendo cuzona há tempos, e não tenha me dado conta disso, não? Questão de ponto de vista. Acho que, às vezes, você só cansa de ser você. Tô enjoada dessa minha cara de pateta.

Mas, olha, deixa eu contar aqui pra vocês que, timidamente, sinto brotar um sentimento de renovação dentro de mim, uma parada bem energizante. Não sei até quando vai durar, mas tenho sentido que finalmente me encontrei. Direcionei meus interesses, assentei meu coração vagabundo, me conheci melhor. Se eu pudesse dar só uma dica sobre o futuro, seria esta: USEM FILTRO SOLAR
Tá, sério, seria a atividade de se conhecer. Não é fácil e não somos ensinados, em um primeiro momento, a pensar com nossas cabeças. Mas isso já é algo que venho alimentando há uns quatro anos: autoconhecimento. A melhor terapia que existe. E a mais dolorida também. A diferença é que, comparando com os abdominais e o levantamento de ferrinhos, a gente fica mais forte é por dentro mesmo.

Aproveitando o texto, vim parabenizar este bloguxo dos horrores, que completou 4 primaverinhas no dia 22. AEEEEEEEEEE MUITO CHANTILLY PRA GALERA
É um baby, né? Imaturo, pouco convincente, não sabe aonde tá indo. Mas tem bom coração. Vamos ver até quando terá coragem para seguir caminhando. Querendo ou não, ele segue sobrevivendo sem um arranhão da caridade de quem o detesta. Vejo alguns textos antigos lá de três anos atrás e quase choro de vergonha alheia. Mas me policio e mentalizo: aquilo ali já fui eu, não posso apagar nada. A bad passa? Não, não passa, mas aí eu dou jeito de me entreter com coisas idiotas. Daqui uns anos, se continuar, estarei tendo vergonha do que fui hoje provavelmente. Isso é tipo Rei Leão, é o ciclo sem fim. E seguimos.

Bueno, se tem uma coisa que eu já constatei, é que não tem como desejar que todxs tenham um ano maravilhoso, que todxs sejam felizes, pois, quando alguém estiver indo muito bem, alguém não muito distante estará se fodendo pra caralho - trata-se de uma questão de lógica kármica. Entretanto, espero que a gente possa agir da melhor forma diante dessa constante que é a dança das cadeiras. E que dê pra dar umas risadas. A vida não é muito original no roteiro, vive se repetindo com todos, essa raposa. Fiquem com meu Beach Boys altamente inspirador, porque o fato é que não há banda mais natalina que Beach Boys. Será que só eu acho isso? r: sim



E, CHRIS, DE MERI CRISMAS, EU QUERO QUE CÊ RENOVE O CONTRATO COM A MARVEL E FAÇA MAIS UNS 10 FILMES POIS NÃO SERÁ FÁCIL SUPERAR SEU ~~TALENTO~~ DE COLANT, OBRIGADA









Auxiliaram no post:

Os meninos da árvore acima, com God only knows, Don't worry baby, Kokomo, Surfin' safari, I get around, Little saint Nick, etcetera.







        



quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

TOP 10 MUITO MAIS DESCOLADAÇO

TOP 10 MUSICAL DA MIGA CATÁRTICA 2

Devido ao sucesso da última postagem (ninguém leu), eu voltei com mais musiquitas. Eita porra, rolou uma dor na consciência por não ter colocado a bandinha do Knopfler. E outras aí que escutei compulsivamente, inclusive, altas lembranças, só saudades. Vem comigo, porque a inspiração ultimamente foda - só tenho pensado merda e escrito também.


RUNAWAY (BONNIE RAITT) - MINHA NOSSA FAZ UNS 7 ANOS QUE EU SOU LOUCA POR UMA MÚSICA DA BONNIE ESSA GRITONA MARAVILHOSA MAS NÃO ACHO EM LUGAR NENHUM PORÉM ESSA QUE VOS APRESENTO É ÓTIMA TAMBÉM ADORO ESSA VAIBE COUNTRY DE NASHVILLE QUE EU ESCUTEI NUM FILME DO JOHN CARPENTER RUIM DEMAIS KKKKKKK E ASSUSTADOR DEMAIS BOM TALVEZ SEJA ASSUSTADOR SÓ PRA MIM QUE SOU RETARDADA FICA A REFLEXÃO

ROCK 'N' ROLL SUICIDE (DAVID BOWIE) - ESSA MÚSICA ESSA MÚSICA ESSA MÚSICA CARALHO MINHA NOSSA ME EMOCIONA PUTZ ESTOU ARREPIADINHA YOU'RE NOT ALOOOOOOOOOOOOONE NOT ALOOOOOOOOOONE GENTE TIVE UMA FASE DE BOWIE NA BOWIE KKKKKKKKK ESCUTEI O CAMALEÃO DO ROQUENROL DIRETO UNS DOIS MESES AÍ PAREI PORÉM ELE PRECISAVA ENTRAR NESTE SEGUNDO TOP 10 DO SUCESSO

ABSOLUTE BEGINNERS (BOWIE) - COMO EU ESTAVA DIZENDO O GAROTINHO BOWIE SABE COMO NOS ENFEITIÇAR O QUE DIZER DESTA MÚSICA QUE CONHEÇO HÁ POUCO NO ENTANTO CONSIDERO PAKAS E SERVIU DE INSPIRAÇÕES LOUCAS PARA MUITOS TEXTOS ROMÂNTICOS E FOFUCHOS AQUI NO BLOG A PROPÓSITO LEIAM CARALHO

BEIRA MAR (ZÉ RAMALHO) - MAS O QUE DIZER DESSA LETRA DESSE ARRANJO DESSE SOLO FEDERAL DO DOMINGUINHOS ETERNO NA SUA SANFONA EITA CHEGUEI A ME ARREPIAR AQUI ESCUTEI BASTANTE ESSA DO ZÉ FICA A DICA AMANTES DO BOM E VELHO CANCIONEIRO TUPINIQUIM

WEST END GIRLS (PET SHOP BOYS) - AÍ FINALMENTE ENTRARAM NA LISTA LINDINHOS ADORO ESSA MÚSICA DE VOCÊS MAS VOCÊS DEVERIAM TER ME ALERTADO QUE ESCUTÁ-LA EM LUGARES COMO BANCOS EM QUE FICAMOS EM FILAS NÃO É UM BOM NEGÓCIO PORQUE INVOLUNTARIAMENTE COMEÇAMOS A FAZER DANCINHAS RIDÍCULAS PERANTE OS OLHOS ALHEIOS

THE ONLY LIVING BOY IN NEW YORK (SIMON & GARFUNKEL) - SÃO UNS GRACINHAS NÉ SEMPRE QUANDO OUÇO ELES ME TRANSPORTO PARA UM MUNDO DE CALÇAS PANTALONAS E NENHUM SENSO DE RIDÍCULO MAS PERAÍ NÃO ESTOU CHAMANDO ELES DE RIDÍCULOS INCLUSIVE ADORO SUA VAIBE ARCADISTA DOS ANOS SETENTA E ESSA CANÇÃOZINHA É MUITO LINDA

DOWN TO THE WATERLINE (DIRE STRAITS) - O QUE É O QUE É QUE TEM NESSA GUITARRINHA DO MARK QUE ME DEIXA DESCARALHADA DA VIDA SEI LÁ MEU NÃO ENTENDO CARALHOS DE MÚSICA MAS ESSA BANDA É A MELHOR BANDA DA VIDA MENTIRA NÃO É MAS EU SOU FÃ ENTÃO ME DEIXA COM ESSE HIT DO PRIMEIRO ÁLBUM DELES QUE INCLUSIVE NÃO TEM SOMENTE SULTANS OF SWING QUE EU NÃO AGUENTO MAIS BRINCADEIRINHA AGUENTO SIM FÃ É FÃ

TANGERINE (LED ZEPPELIN) - MAS OLHA SÓ EU CONSUMINDO LED ZEPPELIN ESTOU ME SENTINDO O SUPRASSUMO DA DESCOLADEZ MUSICAL MAS É UMA GRAÇA ESSA CANÇÃOZINHA NÃO É MESMO ESCUTEI ELA BASTANTÃO NESSE 2014 BEIJÃO PRO ROBERT PLANT QUE INCLUSIVE ANIVERSARIA NO MESMO DIA QUE EUZINHA NADA A VER ESCREVER ISSO MAS ENFIM

ALWAYS RIGHT (ALABAMA SHAKES) - ESSA MÚSICA É FODA PRA CARALHO E TÁ NOS MEUS FONES HÁ QUASE UM ANO ME FALTAM REFERÊNCIAS PRA ESSA BANDA POIS É RELATIVAMENTE NOVA PORÉM SÓ POSSO DIZER QUE ESSA MINA CANTA PRA CARALHO E ERA ISSO FIM

MAGNET AND STEEL (WALTER EGAN) - ESSA MÚSICA É MUITO ENGRAÇADA MENTIRA NÃO É MAS EU ACHO PORQUE DESCOBRI ELA NUM FILME MUITO TOSCO DE SESSÃO DA TARDE E AÍ ELA GRUDOU NO MEU CEREBELO DE UMA FORMA SATÂNICA E ATÉ HOJE EU ESCUTO SEM PREVISÃO DE TÉRMINO ENFIM NÃO É DESCOLADONA MAS TEM SEU MÉRITO 'CAUSE YOU ARE A MAGNET AND I AM A STEEL 


Putz, como sou paga pau de gringo. De brasileiros, só Zé Ramalho entrou na minha listinha imbecil. Enfim, só mais uma reflexão de última hora. Abraz



Hum, eu ia nessas bolas, hein?










terça-feira, 16 de dezembro de 2014

TOP 10 DESCOLADAÇO

TOP 10 MUSICAL DA MIGA CATÁRTICA

Lá por 2012, fiz umas postagens mongas e nada a ver sobre músicas que eu andava escutando. Não tinha nada melhor pra fazer, eis a razão. Como estamos chegando ao final de mais um ano, vou dividir com vocês as dez canções que eu mais escutei nos últimos meses no meu radinho rosa pink com fones pretos mega ~~deskolado~~. Este é mais um oferecimento da Agridoce Estatísticas, apreciem minha descoladez musical muito louca. 


SUPERMASSIVE BLACK HOLE (MUSE) - PUTA MERDA ESSA MÚSICA DO CREPÚSCULO QUANDO ELES JOGAM BEISEBOL É MUITO VICIANTE UMA COISA LOUCA E MUITO MATT BELLAMYCA SEXY PRA CARALHO FICO ME SENTINDO MUITO GATA LEOA MIAU QUANDO ESCUTO SEUS LYRICS AMO DEVERAS

STILL INTO YOU (PARAMORE) - GENTE ME PERDOA ACHO PARAMORE UM SACO SAQUÍSSIMO MAS NESSA MÚSICA A MINA DO CABELO VERMELHO MANDOU BENZÃO VAI DIZER ADORO ESSA BATIDA MUITO DOIDA E DANÇANTE E TEENAGER PENSO NAQUELE AMOR LINDO QUE EU NUNCA TIVE RISOS

PUBLIC IMAGE (PUBLIC IMAGE) - AI AMO AMÍSSIMO PUBLIC IMAAAAAAAAAAAAAAGE FICO BEM LOUQUINHA QUANDO OUÇO NÃO SEI O QUE ESCREVER SÓ SENTIR

MILHAS E MILHAS (IRA!) - OLHA SÓ O NASI DOS ANOS 2000 FIGURANDO NO TOP DEZ MUITO ORGULHO DA MÚSICA BRAZUCA ADORO ESSA LETRA ADORO ESSE RITMO ADORO O CLIPE RETARDADO QUE EU VI NA VH1 ALIÁS AGRADEÇO A VH1 POR TER DESENTERRADO ISSO NAQUELA MADRUGADA OBRIGADA MESMO

POR QUE NÓS (MARCELO JENECI) - AI MARCELO JENECI POR QUE RAIOS TU FEZ ISSO COMIGO GENTE ESSE HOMEM É A MELHOR COISA QUE ACONTECEU NOS ÚLTIMOS TEMPOS NA MÚSICA TUPINIQUIM DESCULPA HATERS MAS ESSAS LETRAS DELE SÃO VIDA ESSA LETRA É UM ALENTO PRA ALMA PUTA QUE ME PARIU   

WE HAVE NO SECRETS (CARLY SIMON) - EITA CARLY SIMON TU ME ARREBENTA NÉ MULHER AI QUE MÚSICA DO DEMO AMO ESSA VAIBE AMOR E PAIXÃO E LOUCURA ESSA MULHER RESSUSCITA UNS BOY QUE TÁ LOUCO SÓ SOFRO MAS VALE A PENA SOFRER ESCUTANDO CARLY MUSA DA MINHA VIDA

CHANGE (LIGHTNING SEEDS) - MÚSICA DE UM TAL LIGHTNING SEEDS QUE EU DESCOBRI NA TRILHA DE PATRICINHAS DE BEVERLY HILLS MELHOR FILME DO JEREMY SISTO AMO É MUITO VICIANTE ME ANIMA PRA CARALHO NAQUELES MOMENTOS DE BAD RECOMENDO TRILHA DO FILME DA CHER HOROWITZ ALTOS ACHADOS

HOPE OF DELIVERANCE (PAUL MCCARTNEY) - ESCUTEI AQUELE TESUDINHO E GOSTOSO DO GEORGE MUITO MAIS ESSE ANO MAS NADA COMPARADO A ESSA LINDA DO MENINO PAUL E SUA PEGADA LATINA E CALIENTE ATÉ PARECE UM BOLERO NÃO É MESMO AMO ESSA MÚSICA SÓ SEI DIZER ISSO 

JESUS OF SUBURBIA (GREEN DAY) - OLHA O SOM DO MENINO QUE USA MAIS LÁPIS PRETO NO OLHO EM UMA TURNÊ QUE EU EM UMA VIDA INTEIRA PARABÉNS BILLIE JOE ARMSTRONG POR ESSA MÚSICA AMO DEMAIS E OLHA QUE EU DETESTO MÚSICAS COMPRIDAS POIS GERALMENTE ELAS SÃO INSUPORTÁVEIS PORÉM VOCÊ ACERTOU A MÃO SEU LINDO BEIJOS

FADE TO GRAY (VISAGE) - OLHA SÓ A ÚNICA REPRESENTANTE DOS MEUS OITENTINHAS VISAGE MUITO LOUCAÇO E CHEIO DE SINTETIZADORES QUE VONTADE DE SAIR DANÇANDO ISSO COM UMA BOTA ATÉ O JOELHO PUTA MERDA ESSAS ELETRÔNICAS DA ÉPOCA DO PET SHOP BOYS SÃO ÓTIMAS ALIÁS PET SHOP BOYS NÃO ENTROU AQUI POR MUITO POUCO FICA PRA PRÓXIMA VAI TER OUTRAS LISTAS



Linguagem de telegrama é tendência, nem venham espernear. 








segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

''É o que temos pra hoje''

Final de ano, corpos mais à mostra. É hora de mostrar a barriga, o biquíni novo, o vestido comprado para a ceia que se avizinha. ''É o que temos pra hoje'', bradam uns nas tais selfies previsíveis, pois, afinal, é necessário mostrar que estamos desesperadamente aproveitando a vida. Viu, sociedade? É o que eu tenho pra hoje, não deu pra fazer muito, mas uma Budweiser com batatinhas foram a redenção da noite. Anota aí, eu estou aproveitando minha folga proletária. O ''É o que temos pra hoje'' parece ser o slogan de uma geração.
Sei lá, que coisa mais uniforme, mais previsível. Não é inveja, sabe. Sábado, eu e umas criaturas aí fizemos petiscos e bebericamos cervejas ao luar, com uns covers animadíssimos do Robert Nesta Marley (o verão, esse sabe ser previsível). Ninguém soube. Na semana passada, eu tomei umas, em um banho de piscina, e cheguei gritando sem sandália em casa, além de ter saído atrás da minha cadela de madrugada. Pura diversão e nenhuma linha a respeito. No começo do mês, mamãe fez uma lasanha maravilhosa, e adivinha? Nem sinal dela no Insta. A propósito, nem sabem, fiz um perfil no dito cujo, a fim de acompanhar a trajetória peluda do Chico, do Cansei de Ser Gato. Gatos têm estranho poder sobre mim, vocês não podem me culpar. Mas me policiem, pois no dia em que houver fotinho com biquinho e legenda ''good vibes'', ou, sei lá, foto dando bom dia pro sol, aí já pode rolar uma internação. BOM DIA, UNIVERSO!!!11111111 aff calabok

Vocês devem me achar muito amarga, né? Conta aqui pra mim no meu ouvidinho. Magina, criatura, eu sou uma flor de pessoa. Eu realmente sou um doce. Mas eu gosto de debochar, ainda que talvez faça isso bem mal. Eu não vivo sem. Me incomoda essa homogeneidade nas atitudes virtuais. São sempre aqueles mesmos comentários nas fotos:

MINHAS GATAS
LINDONA
QUE LINDA
GATEDO
QUE GATA, UAU
NOSSA, ASSIM VOCÊ ME MATA
MUITO LINDA, AMIGA A A AAAA
QUE VIDA DIFÍCIL
NOITE TOP
SÓ AS GATAS
SE FOR CRISE, QUE CONTINUE (aqui, pontuei corretamente a frase condicional - coisa que nunca vejo)
AOOOOW POTÊNCIA (até agora não identifiquei o que é isso; se é uma gíria sertaneja, se é um grito de guerra ou se é só retardo mental galopante, enfim...)
VAMO BOTAR
SÓ OS PATRÃO
DIMÓÓÓÓIS (parece que adentraremos 2015 - quiçá o século XXII - com esse neologismo desgraçado)


Não é querer pagar de ser superior, sabe, porque eu também sou tragada pelo sistema. Eu sou um produto dele igual ao pessoal que critico. Mas, poxa, tem como esconder trouxice. Não se destruam sozinhos, lindxs! Dá pra fingir que se é interessante. Ainda tá em tempo. Me surpreenda, gatinho, não poste fotos de sua ceia e de sua virada. Ou poste, mas poste com inventividade. Com provocação. Seja Salvador Dalí. Em 2015 seremos muito felizes, e ninguém saberá de nada. Seremos o segredinho um do outro. Como posso ser amarga, sendo tão romântica? ME DIZ



Auxiliou no post:

Waiting on a friend - The Sights









domingo, 7 de dezembro de 2014

A década em que o Misha chorou

The Works é minha capa preferida do Queen. Não álbum, somente capa, ainda que nele constem ''Man on the prowl'' e ''It's a hard life'', músicas pelas quais tenho carinho especial. Em 2014, completaram-se 30 anos de seu lançamento. Fiquei viajando nisso aqui e me veio uma vontade de escrever sobre anos 80. Amo/sou. Pior que sou mesmo, nasci em 89 e fico fantasiando que carrego um resquício da inventividade dessa época dos blazers com ombreiras.
Um tempão atrás, tive uma fase obcecada pelos tais anos, ainda mais quando me caiu às mãos, num jornal onde trabalhei, um almanaque sobre a década. De ursinho Misha chorando à queda daquele murinho lá, passando por Paolo Rossi e os 3x2 da Itália contra o Brasil, eu sabia de tudo. E falava para quem nem queria escutar, insuportável que sou.
Só acho que eu não precisava ter me fantasiado de Cyndi Lauper naquela primeira festa à fantasia da faculdade, mas, pensando bem, até que foi bom. Quando mais eu poderia usar polainas com scarpin rosa pink? Não posso mais pedir desculpa por ser verde fosforescente. Os 80 foram barulhentos, escandalosos, coloridos, cafonas e incompreendidos, tal qual a Cyndi de araque aqui. Toca aí, galera.


                                                     Freddinho de All Star, awnnnnnnnn.



                                     


Vai ser difícil alguém passar os russos no quesito ''seres peludos fofuchos em Jogos Olímpicos''.







 

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Os namoradinhos estão na sex shop

Vocês viram que a cantora Anitta disse que os homens não estão assim tão interessados nas mulheres mais, pois elas ''dão muito em cima deles'', né? Claro que viram, óbvio que viram, quem não sabe de alguma coisa hoje em dia? Nas minhas timelines, já choveu textão - ah, o textão! - sobre o assunto, e a vida seguiu. Done.
Sabe, há alguns anos, eu, com minha criação do jeito que o status quo gosta, teria aplaudido mentalmente as palavras da funkeira, que foi catapultada à fama há pouco mais de um ano e meio. Porque, lógico, recompensas vêm àquelas que se comportam, certo? Ser uma menina boazinha vai me garantir um príncipe montado num pangaré. Quanto mais recatada e santa eu for e mais pano minhas roupas tiverem, mais pontos estarei ganhando com algum lindo por aí que anda me observando, certamente. Credo, que mentalidade tirana essa. Dá pra acreditar que as mamães ainda estão passando esse ensinamento às meninas? Estou longe de ter tido uma educação repressora, uma tipo à da Carrie, a estranha, mas essa novelinha do ''se dar ao respeito'' muito passou na minha televisão juvenil. ATÉ HOJE, eu escuto e olha que eu tenho 25 anos. A gente cresce ouvindo essa ladainha. ''Não vai querer ficar falada, né?'' "Olha os modos''. É o hit parade de uma geração inteira de cromossomos XX. Em vez de educarem as meninas para serem donas do próprio destino e fazerem-nas seguras para suas verdadeiras ambições, blá blá, inconscientemente muitas genitoras querem mais é que elas sejam dignas do amor e admiração masculinos. Porque isso as fará premiadas pela vida. Isso fará com que sejam diferentes daquelas ''vadias'', quando, bem no fundinho, todas querem é ser felizes. Percebem como o ônus fica todo para nós? Ainda se alimenta - e muito - essa cultura nojenta de que os homens é que escolhem, quando o grande fato é que eles não têm que apitar nada na nossa vida amorosa. Não é para criar animosidades, até porque prezo muito pelo sexo oposto (rs), mas, sei lá, buscar criar um debate, tentar colocar na cabeça das pessoas que nossas vidas pessoais não têm que figurar nos jantares de família e serem motivo de plebiscito. 
Olha a Bruna amargurada falando contra o amor. Já tô lendo alguns pensamentos aqui de antemão. Mas, enquanto isso, eu presencio namoros abusivos em que não existe diálogo. Namoros escrotos em que fulaninho é quem dá a palavra final sobre a roupa da fulaninha, em que a menina está com o cara claramente para fugir de julgamentos, pois é possível que ela não tenha tido uma amiga para lhe dizer que estar com um cueca não faria dela um ser humano merecedor de mais respeito.   
É uma cultura tão desgraçada que nem sei presentificá-la em minha própria mente. Só sei que é uma libertação diária. As meninas definitivamente não podem achar que a fala da Dona Poderosa está certíssima e seguir cantando aqueles versos ridículos que falam sobre inimigas e o escambau. A gente precisa se ajudar nisso. 
Ah... os namoradinhos vão bem, titia. Estão todos na sex shop da esquina.



Auxiliou no post:

Milhas e milhas - Ira!







quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Sobre fracasso, Belchior, Scarlett O'Hara e Charlie McDermott

Eu fracassei assombrosamente. Não passei no que queria, morri na praia. Tentei, blá, blá, mas qual é, ninguém lembra dos tentadores. Todos lembram é dos fracassados. É o fracasso que ganha quadrinho na parede. E na parede da memória, essa lembrança é o quadro que dói mais. Não é preciso ser Belchior para se dar conta. Os pais, as mães e aqueles poucos que nos amam seguem dizendo que somos awesome, que somos uns tesouros travestidos de gente, mas, argh, como é difícil sentir isso depois de um tombo. Estou me sentindo um lixinho de olhos castanhos, não há quem mude isso. Uma burra completa, uma imbecil. Se em um universo paralelo, eu tenho inimigxs, possivelmente agora elxs estão degustando um chá de ervas feito com minhas lágrimas. Quem dera meu tombo tivesse sido como esse aqui.
Pobre leãozinho com esse ascendente escorpiano que o faz descer dez metros de lama abaixo do fundo do poço. Pobre leãozinho que começa a se martirizar e sentir cada centímetro de sua juba inundada pelo drama e pela miséria existencial sem previsão de restabelecimento - a não ser, claro, à custa de muita luta interior e catarse, pois o fato é que o nome deste bloguinho não leva tal vocábulo impunemente.  
Ok, ok, claro que não é pra tanto, mas sei lá, eu sou assim desde sempre. Nunca consegui assimilar derrotas como alguém de American Pie. Sempre quem vem à tona é a Scarlett O'Hara. Mamãe diz até que a carinha de bunda está ficando igualzinha.
Até é de se pensar sobre. Será que eu queria o êxito só por mim exclusivamente ou minha vontade de vencer era um espelho do que esperavam de mim? Não acredito que vou escrever isso, mas... será que é porque minha imagem... er... não podia ser manchada? Argh, que ego maldito, Bruna. Me deixem, tô confusa. E tô tristinha. KD CHARLIE MCDERMOTT SEM CAMISA NA MINHA FRENTE AF
Deixem os vitoriosos lá com seus louros e medalhas, enquanto eu travo uma batalha mental contra o lodo.
Enfim, não tenho mais o que fazer, senão superar. Blergh, eu vou superar, gurus da autoajuda. Só deem tempo de eu encasquetar com outra coisa. Nessas horas, até é bom ser hiperativa crônica: a novidade sempre aparece.



                                                                    Sai daqui, mina.