Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2017

Curtinhas catárticas

Eu só queria comprar uma camiseta branca. Branca, verde, vermelha, qualquer cor. Uma fucking camiseta simples. Dessas que, outrora, James Dean exibia em Juventude Transviada. Uma camisetinha simples, fuleira, dessas que com 20 golpinhos se compram. UMA PORRA DE UMA CAMISETA IRRISÓRIA PARA TRABALHAR. Sem frescuras. Sem babados. Sem detalhes assimétricos. Sem frases em inglês que não fazem o menor sentido. Sem modismos à la Kendall Jenner - ou qualquer uma dessas imbecis com dinheiro que vocês amam idolatrar. Só uma reles camisetinha de algodão. Sabe o que é revirar as gôndolas da vida e não achar uma camiseta assim, amigo do terceiro mundo? Peloamordedeus, a simplicidade virou artigo de luxo mesmo. Cá estou, vestindo uma camiseta com uma frase ridícula em inglês e uma choker embutida. Vão tomar no cu. 

Eis que me deparo com uma foto daquela fofinha de Stranger Things, a Millie Bobby Brown, em uma pose questionável com emojis de fogueirinha em plena luz do dia no Instagram - aquela des…

Eu tenho riniteeeeee!

Eu nunca vou enfiar essa merda no nariz! Eu tenho riniteeeeee! Essa sou eu dizendo que nunca vou usar cocaína. Nunca, nunquinha, é nojento demais. Como que conseguem aspirar aquele pó de origem duvidosa narinas adentro com a alma leve, despreocupada? Assim, eu até queria sentir a loucura e a vibe, mas nasci muito cagona para experimentar. E cheia de rinite. Rinites infinitas e desconhecidas habitando esse narizinho lindo. Deus me livre. Não, leitor, isso não é uma versão piorada daquela propaganda bizarra da Eliana, nos anos 90, dizendo para você abrir a mão e dizer não às drogas - tampouco uma mensagem patrocinada pelo PROERD. Sou só eu, vida saudável afundada em ansiolíticos, dissertando sobre o tema após gritar a sentença acima em meio a umas 20 pessoas desconhecidas, bota micão.  E os hippies, hein? Como conseguiam sair se picando adoidado nos anos 60 com aquelas agulhas pavorosas? Amigo, se eu vejo uma agulha já saio correndo. Já não é mais fobia, é algo sem nome. Adoraria, entre…

Fogo no rabo

O sono é feroz, domina, e a preguiça, lancinante, puxa seus membros fatigados para qualquer lugar em que se possa ficar apoiado. Mas é sábado e você combinou de ver seus amigos - e o pior é que em algum nível do seu coração você quer realmente vê-los. O que você não quer é se locomover, então você faz o que qualquer filho da puta já fez alguma vez na vida: enrola. Enrola pra caralho. A vida como ela é.  ''Aposto que se o fulaninho fosse, já estaria lá''. Tão verdade que não consegui nem disfarçar o sorriso cheio de dentes. Se fulaninho estivesse lá, eu já estaria lá antes de ser. Se fulaninho vem, por exemplo, às quatro da tarde, desde as dez da manhã eu estarei experimentando calcinhas. Refletindo sobre isso, parei uns minutos... e me saí, resignada, com uma ótima, como se tivesse um cigarro no canto no boca e fosse Nelson Rodrigues: ''o fogo no rabo é uma vontade inabalável''. Não que eu não sinta fogo no rabo por meus amigos queridos, mas definitivam…