segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Da série: diálogos agridoces

QUE FASE!

- Bem no fim, às vezes a gente foge é pra não ficar refém mesmo.
- É... pode ser isso, por mais que eu não assimile muito bem.
- É o álibi dos medrosos, percebe? Eu assumo.
- Ou dos sensatos, vai saber...
- Eu nunca fui sensata, amiga.
- Taí uma verdade, hein? É medo, então.
- Tá, pode ser sensatez mesmo. Acho que tem um momento em que tu vê que tomou tanto na cara, que se obriga a fugir, ou melhor, ser sensato. Nem que seja uma sensatez velada...
- Grata por confundir minha cabeça. Tu me fez ver que tô na mesma sinuca.
- Lembra quando eu te disse que amava ele de um jeito meio doente, de um jeito que tava me deixando meio doente..?
- Não foi comigo que tu falou isso, meu caro Watson.
- Puta merda! Será que eu sonhei, falei isso com alguém ou disse isso in loco pra criatura?
- Certeza que o argumento de "Insensato Coração" foi inspirado na tua vida amorosa, cara.
(risos)
- Certeza que tu tá me tirando, sua louca! Nem olhava essa novelinha de quinta. Lembra da conversa, né?
- Não, não foi comigo. Do jeito que tu é surtada, é bem capaz de tu ter ligado pro Don Juan de Marco de araque e falado palavra por palavra.
- Aí me lasquei, né? O gelo teria explicação, ele deve achar que eu sou uma psicopata.
- E taria muito certo na observação, não?
- Cadê tua porção compreensiva quando eu preciso dela?
- Ai, não é tão mau assim, amiga! Se falou, acho muito digno.
- Ah, sim, digníssimo! Ainda mais bêbada!! Quem vai querer uma esposinha com cadeira cativa no AA?
(risos quilométricos)
- E se tu não tava bêbada? Uma vez tu me disse que se declarou, sóbria, à tarde, no hall de entrada do escritório...
- Ih, pior que foi, mas meu príncipe é tão malandro que nem notou. Usei mensagens subliminares, ele boiou total.
- Ninguém entende tuas subliminaridades, maninha, vai por mim.
- Tá curtindo me zoar hoje, né? Acho que vou ali no apartamento do lado dizer pra um tal de Carlos Eduardo que ele tem uma voyeur que gosta de espiá-lo nu, há uns...
- SHHHHHHHHHHHHHH fica quietaaaaaaaaaa.
- Tá, e se eu tava bêbada de paixão? Sacumé eu apaixonada... não respondo por mim.
(risos)
- Ah, cara, eu sei como tu se sente.
- Qualquer uma sabe como eu me sinto. Somos membros de uma confraria, querida.
- Tá, mas o que tu ia dizer mesmo.. sobre o fato de amar o primogênito dos Irmãos Metralha lá?
- Ah, pois é.. eu ia dizer que a gente sabe muito bem quando uma conversa tem fim. Só que em relação a ele, é como se sempre houvesse reticências e reticências... uma coisa meio sem final, sabe?
(silêncio)
- Pois eu te digo que, euquanto houver reticências perdidas no meio da história, vai ter o que contar. Ponto.
- Não acredito que eu tô tendo esse papo contigo às 5h da matina. Voltamos a ter 13 anos, sério.
- A gente misturou muito ódio e orgulho ferido com vodka vencida. Já ouviu falar em ressaca de emoções?
- Na boa, preferia a ressaca convencional.
- Que fase!
(risos)
RETOMADA DE ASSUNTO DE UNS 8596576 FINAIS DE SEMANA ATRÁS
- Pois é, né... mas aquela vez, lembra? Ele tão lindo, dispensou aquela piranha oxigenada só pra me levar pra casa. Tipo???
- É... aquela vez foi golpe de mestre, reconheço.
- Desgraçado!
- Gênio!
(risos)
- É... acho que o negócio é ir dormir, já que a nossa saidinha foi pro ralo. Trate de esquecer esse cafa.
- Trate de me acordar, tô podre e possivelmente vou dormir mais que a cama.
- Eu tava lembrando de um negócio aqui.. meu, sério, que situação...
- O quêêêêê?
- Tu falou mesmo que, se ele quisesse ser cúmplice da tua idiotice, era só ir contigo? Jura que tu foi piegas nesse nível absurdo?
- CINCO CAIPIRINHAS ME FIZERAM DIZER ISSO, OK?
(risos quilométricos)
- É por isso que eu te amo, sua doente!
- Vaza, cretina, me deixa sonhar com meu príncipe filho da puta!
- Por via das dúvidas, hoje teu celular fica comigo.
- Por via das dúvidas, vou colar um esparadrapo na boca, quando vê-lo.
- Não sei o que seria de mim, sem tuas histórias incrivelmente micadas.
- CAAAAARLOOOOOOOOOOS EDUAAAAAAARDOOOOOOOOOO!

3 comentários:

trisecris disse...

UAHUAHSUHAUHAS

Ri mto!! É bem assim msm, me identifiquei mto!
O pior é que até temos consciência da cagada, mas na hora neh, quem segura?!

Habylee disse...

huahuahuahua
muito divertido.
Quem nunca protagonizou uma cena dessas com a melhor amiga?

Bruna Castro disse...

HUAHIAHUEAHIEHAUEHAIEH ai, miguxas, que bom que riram com o causo e captaram a essência da coisa! KKK triste, né.. só rindo.