Pular para o conteúdo principal

Da série: diálogos agridoces

QUE FASE!

- Bem no fim, às vezes a gente foge é pra não ficar refém mesmo.
- É... pode ser isso, por mais que eu não assimile muito bem.
- É o álibi dos medrosos, percebe? Eu assumo.
- Ou dos sensatos, vai saber...
- Eu nunca fui sensata, amiga.
- Taí uma verdade, hein? É medo, então.
- Tá, pode ser sensatez mesmo. Acho que tem um momento em que tu vê que tomou tanto na cara, que se obriga a fugir, ou melhor, ser sensato. Nem que seja uma sensatez velada...
- Grata por confundir minha cabeça. Tu me fez ver que tô na mesma sinuca.
- Lembra quando eu te disse que amava ele de um jeito meio doente, de um jeito que tava me deixando meio doente..?
- Não foi comigo que tu falou isso, meu caro Watson.
- Puta merda! Será que eu sonhei, falei isso com alguém ou disse isso in loco pra criatura?
- Certeza que o argumento de "Insensato Coração" foi inspirado na tua vida amorosa, cara.
(risos)
- Certeza que tu tá me tirando, sua louca! Nem olhava essa novelinha de quinta. Lembra da conversa, né?
- Não, não foi comigo. Do jeito que tu é surtada, é bem capaz de tu ter ligado pro Don Juan de Marco de araque e falado palavra por palavra.
- Aí me lasquei, né? O gelo teria explicação, ele deve achar que eu sou uma psicopata.
- E taria muito certo na observação, não?
- Cadê tua porção compreensiva quando eu preciso dela?
- Ai, não é tão mau assim, amiga! Se falou, acho muito digno.
- Ah, sim, digníssimo! Ainda mais bêbada!! Quem vai querer uma esposinha com cadeira cativa no AA?
(risos quilométricos)
- E se tu não tava bêbada? Uma vez tu me disse que se declarou, sóbria, à tarde, no hall de entrada do escritório...
- Ih, pior que foi, mas meu príncipe é tão malandro que nem notou. Usei mensagens subliminares, ele boiou total.
- Ninguém entende tuas subliminaridades, maninha, vai por mim.
- Tá curtindo me zoar hoje, né? Acho que vou ali no apartamento do lado dizer pra um tal de Carlos Eduardo que ele tem uma voyeur que gosta de espiá-lo nu, há uns...
- SHHHHHHHHHHHHHH fica quietaaaaaaaaaa.
- Tá, e se eu tava bêbada de paixão? Sacumé eu apaixonada... não respondo por mim.
(risos)
- Ah, cara, eu sei como tu se sente.
- Qualquer uma sabe como eu me sinto. Somos membros de uma confraria, querida.
- Tá, mas o que tu ia dizer mesmo.. sobre o fato de amar o primogênito dos Irmãos Metralha lá?
- Ah, pois é.. eu ia dizer que a gente sabe muito bem quando uma conversa tem fim. Só que em relação a ele, é como se sempre houvesse reticências e reticências... uma coisa meio sem final, sabe?
(silêncio)
- Pois eu te digo que, euquanto houver reticências perdidas no meio da história, vai ter o que contar. Ponto.
- Não acredito que eu tô tendo esse papo contigo às 5h da matina. Voltamos a ter 13 anos, sério.
- A gente misturou muito ódio e orgulho ferido com vodka vencida. Já ouviu falar em ressaca de emoções?
- Na boa, preferia a ressaca convencional.
- Que fase!
(risos)
RETOMADA DE ASSUNTO DE UNS 8596576 FINAIS DE SEMANA ATRÁS
- Pois é, né... mas aquela vez, lembra? Ele tão lindo, dispensou aquela piranha oxigenada só pra me levar pra casa. Tipo???
- É... aquela vez foi golpe de mestre, reconheço.
- Desgraçado!
- Gênio!
(risos)
- É... acho que o negócio é ir dormir, já que a nossa saidinha foi pro ralo. Trate de esquecer esse cafa.
- Trate de me acordar, tô podre e possivelmente vou dormir mais que a cama.
- Eu tava lembrando de um negócio aqui.. meu, sério, que situação...
- O quêêêêê?
- Tu falou mesmo que, se ele quisesse ser cúmplice da tua idiotice, era só ir contigo? Jura que tu foi piegas nesse nível absurdo?
- CINCO CAIPIRINHAS ME FIZERAM DIZER ISSO, OK?
(risos quilométricos)
- É por isso que eu te amo, sua doente!
- Vaza, cretina, me deixa sonhar com meu príncipe filho da puta!
- Por via das dúvidas, hoje teu celular fica comigo.
- Por via das dúvidas, vou colar um esparadrapo na boca, quando vê-lo.
- Não sei o que seria de mim, sem tuas histórias incrivelmente micadas.
- CAAAAARLOOOOOOOOOOS EDUAAAAAAARDOOOOOOOOOO!

Comentários

Anônimo disse…
UAHUAHSUHAUHAS

Ri mto!! É bem assim msm, me identifiquei mto!
O pior é que até temos consciência da cagada, mas na hora neh, quem segura?!
Habylee disse…
huahuahuahua
muito divertido.
Quem nunca protagonizou uma cena dessas com a melhor amiga?
Bruna Castro disse…
HUAHIAHUEAHIEHAUEHAIEH ai, miguxas, que bom que riram com o causo e captaram a essência da coisa! KKK triste, né.. só rindo.

Postagens mais visitadas deste blog

Isis e eu

Dia desses, um cara comentou altas grosserias numa foto minha (um feioso que estava querendo este corpinho, mas isso a Globo não mostra, uééééééé). O fato é que o moço me esculachou - ainda que, outrora, quisesse comer - dizendo para eu não me achar tanto visto que, perto de beldades como Isis Valverde, Fulana Não Sei Das Quantas (alguma boazuda fitness que nunca nem vi e que deve tirar foto olhando pro chão) e outras mulheres que não identifiquei no comentário magoado, eu era feia pra caralho. Eu, Bruna C., 28 anos, feia pra caralho e humilhada em rede social. Lamentei, claro, mas mais por ele não ter sacado o meme que originou a legenda da foto - olha, feiura até relevamos, mas não sacar um meme? Poxa, estamos falando de uma indústria brasileira vital. Mas, vamos lá, se tem algo que eu capto nessa vidinha obscura é a profundidade das coisas. Este feio incapacitado para entender ironias, achando que estava acabando comigo, só aguçou meu senso de observação.  É evidente que nunca che…

Sobre Ilha das Flores e Ilha das Flores - depois que a sessão acabou

A ideia deste post surgiu de algo bem interessante. Ontem, eu dei uma lida numa entrevista do cineasta Jorge Furtado e decidi dividi-la no perfil que tenho em uma rede social, uma vez que ele fez algumas considerações sobre jornalismo - e isso, independente de quem vier, sempre me faz dar uma parada. Gosto de ver o que estão falando, etc. Na ocasião, o repórter também nos lembrou da passagem de 25 anos daquele que parece ser um dos maiores feitos do porto-alegrense, o curta ''Ilha das Flores'', lançado em 1989 e até hoje considerado um marco em sua carreira.  Arrisco dizer que não haja ninguém que não tenha assistido a tal documentário, especialmente nos anos de ensino médio, mas, vá lá, quem sabe nem todos conheçam. Desde que o vi, fiquei encantada. Encantada, mas não num sentido ''jogo no time do Jorge Furtado Futebol Clube'', e, sim, ''que baita jeito de contar uma história, com deboche e precisão''. Trata-se de um roteiro quase lúdico…

Família Felipe Neto

Eu já queria falar sobre isso há um bom tempo, e, enquanto não criar vergonha nessa cara e entrar num mestrado para matar minha curiosidade de por que caralhos as pessoas dão audiência para pessoas tão bizarras e nada a ver, a gente vai ter que escrever sobre isso aqui. Quando eu falo ''a gente'', me refiro a mim e às vozes que habitam minha cabeça, tá, queridos? Youtubers... youtubers... sim, Bruna, está acontecendo e faz tempo. Que desgraça essa gente! Ó, pai, por que me abandonaste? Quanto tempo eu dormi? Estamos vivendo uma era de espetacularização tão idiota, mas tão idiota que me faltam palavras, é sério, eu só consigo sentir - como diria o fatídico meme. Não tem a mínima condição de manter a sanidade mental, querendo estudar, trabalhar, evoluir quando pegar uma câmera, do celular mesmo, sair falando um monte de merda e enriquecer com isso ficou tão fácil. Vamos usar um case bem ridículo aqui? Vamos.  Dia desses, esta comunicóloga que vos fala, fazendo suas comp…