terça-feira, 11 de março de 2014

Em vez de rosa, um cactus

Não sei de onde surgiu a ideia - aparentemente incontestável - de que mulheres são loucas por flores. Deve ter sido mais uma invenção capitalista, certamente. (A propósito, se alguém tiver algum texto elucidativo explicando o porquê de relacionarem rosas, lírios, orquídeas, etc a nós, me indique, realmente tenho gana de saber.) Não tô falando que flores - rosas em especial - são desprezíveis, elas são, sim, cheirosas, embelezam ambientes, são agradáveis, ok. Agora, não me venham oferecer rosinha em Dia Internacional da Mulher, por favor, tenham um pingo de consciência das coisas. Mas que coisas, sua rabugenta que não aceita nenhuma florzinha?
O dia 8 não é para ser comemorado, meus queridos, ele é um dia de militância, de reflexões, dia de ouvir, de aprender, de rever estatísticas - que nem sempre são positivas a nós. O mercado, este escroto pagando de ''gentil'', apenas se apropriou de uma data, cujo significado não tem nada de festivo. Para você que está chegando agora da Disney: o dia 8 tem uma simbologia triste, meu caro, como o Dia da Consciência Negra, por exemplo, que marca o aniversário de morte de Zumbi dos Palmares. Naturalmente, quem acha normal dar rosinhas e presentes no dia já citado, deve ser o tipo de criatura que parabeniza negros pela passagem ''do seu dia''. É osso, viu?
No Facebook, vi um sem-número de mulheres se dizendo emocionadas pelas ''homenagens'' que receberam no trabalho, que seus maridos até fizeram café na cama para elas, que se orgulham de serem esposas dedicadas e fazerem seus homens felizes... quer dizer, eu sou obrigada a sorrir condescendentemente para isso? Pior foi ter que ler na marra piadistas do naipe do CQC, nos mandando gentilmente lavar louças, nos brindando com montagens em que havia carros mal estacionados e letreiros com um singelo ''Feliz dia da mulher'', entre outras brincadeirinhas inocentes. Ah, por que ser tão chata, ri aí, eu sou descoladão. E eu tenho que me sentir atraída por um estrupício desses?
Que me chamem de mal amada, de chata, o que for, não me importo, mas eu não aceitei nem vou aceitar rosas nunca neste dia. Enquanto eu não puder sair na rua com a roupa que me der na telha sem ouvir ''elogios'' destes galãs que nos presenteiam com rosas vermelhas, não aceitarei. Enquanto eu ainda ler notícias sobre estupros horrorosos, não aceitarei. Enquanto mulheres transexuais ainda sofrerem com piadinhas maldosas na rua, não aceitarei. Enquanto mulheres seguirem sendo assassinadas por estes príncipes modernos que ''amam demais'', não aceitarei. Enquanto formos vítimas de qualquer violência psicológica, não aceitarei. Quem sabe chegue o dia em que poderemos receber flores como mera gentileza, mas, por enquanto, anota aí: vou querer um cactus para combinar com o meu estado de espírito.




   
 

Nenhum comentário: