domingo, 11 de setembro de 2011

Da série: diálogos agridoces

IDEIA ESTÚPIDA

- Às vezes, é melhor dormir com a impressão mentirosa que perder o sono pensando na obviedade que fere.
- Não acho.
- Tem certeza?
- Não, não tenho, só queria te contrariar.
- Bem teu papel.
- E o teu é se iludir, não?
- Talvez. Mas não deixa de ser mais digno. Na minha ilusão, eu sou feliz e não machuco ninguém.
- Hum, captei o sarcasmo.
- Nada além do previsível. Lembra? Pra ti, eu sempre fui previsível.
- Quem sabe eu esteja arrependido.
- Quem sabe seja tarde demais.
- Pra dizer adeus ou pra dizer jamais?
- Incrível como "jamais" combina com a gente.
- Nossa, com isso eu concordo.
- Pra mim, tanto faz.
- O mesmo ceticismo barato de sempre...
- Por que eu mudaria?
- Porque é um hábito terrível.
- Pode até ser, mas não é o pior.
- Qual é o pior?
- Gostar de ti até os ossos.
- É sério?
- É, preciso parar com essa ideia nociva e estúpida de te querer mais que a mim mesma.
- Não vai conseguir.
- Como é que tu sabe?
- Tô vendo nos teus olhos...

2 comentários:

trisecris disse...

Adorei!!
Estou perdida nos teus textos(que meu chefe não leia isso), a horas!!
Parabéns Bruna, escreves muito bem!!
=D

Bruna Castro disse...

Ai, Cris, obrigada! Que bom que gostou! Volte sempre! Beijos